É contagiante ver a vontade das adquirentes, ou mais conhecidas como maquininhas de cartão em reduzir as taxas, aluguéis, juros por antecipação de recebíveis. Muita coisa mudou nesse mercado no último ano e todos os revendedores estão sendo beneficiados, se você ainda não foi, ligue agora para o assessor de sua máquina de cartão, exija equiparação de taxas com o mercado.

Temos visto com frequência taxas de débito abaixo de 0,70% e crédito abaixo de 1,35%, aproveite e renegocie o quanto antes, e uma dica, o mínimo que encontrei foi um revendedor que paga atualmente 0,58% no débito e 1,08% no crédito.

É constrangedor saber que as maquininhas de cartão de frotistas não alteram suas taxas, surfam uma onda diferente, o cerco ainda não apertou para eles, somente para o revendedor.

É uma pratica dos cartões de frotistas a cobrança de 3,5% de taxa de crédito, além de aluguel de máquinas, cobrança por DOC e pagamento em 38 dias… se você dividir o custo total disso pelo faturamento processado nestas maquininhas vai ver que chega a 5 ou 6% , um absurdo, não sobra nada para o revendedor.

E mais, o pior não são as taxas, hoje empresas de conciliações bancárias estão provando que muitos recebíveis ficam para trás, ou seja, o revendedor além de pagar taxas enormes não recebe o valor total devido. Quando o revendedor entra em contato para renegociar as taxa,s não é bem recebido. Simplesmente avisam que outros postos próximos querem a maquininha e nem todos podere ter esse serviço em seus postos, ou seja, para eles o revendedor já está no lucro.

Com a forte pressão de grandes transportadoras por menores custos de combustíveis e a impossibilidade dos postos em negociar vendas que feitas com cartão de frotistas, está iniciando uma nova fase. As empresas frotistas estão abordando os postos por menores preços e em contrapartida, prometem concentrar as vendas de determinados clientes neste posto, estão enforcando o revendedor, uma parceria boa só para um lado.