BR distribuidora
Revendedor

Atual cenário da revenda de combustíveis: um desabafo

Artigo escrito por Ricardo Pires
Por Ricardo Pires
Criado em 25/02/2019, atualizado em 13/07/2020

Uma mensagem viralizou no mercado da revenda. Recebi de diversos estados do Brasil esta mensagem escrita por um revendedor de Tocantins e que fala claramente sobre a realidade que estamos vivendo. Este cenário no qual se encontra o país, após a mudança na precificação pela Petrobras, tem transformado o dia a dia do revendedor em uma realidade distante daquela de tempos atrás, principalmente para o bandeirado.

Com o preço mudando diariamente, os revendedores bandeirados se encontram em uma posição desprivilegiada, já que, independente do preço, há um contrato firmado com a distribuidora. A mensagem, em tom de desabafo, da a dimensão do que se tornou hoje a revenda no Brasil. Antes vista como um negócio lucrativo e de posição privilegiada, hoje se mostra em declínio, fazendo com que muitos revendedores ainda estejam com o posto em funcionamento apenas para honrar com os valores exorbitantes dos contratos assinados com as distribuidoras.

Deixo abaixo a mensagem recebida, na íntegra.

“Sou revendedor Shell e Ipiranga há quase 30 anos aqui no Tocantins e nunca vivenciei uma situação tão difícil e dramática na qual a categoria passa nesse momento. Vivenciamos atualmente um cenário caótico onde somos taxados de ladrões sem ter culpa alguma do que está acontecendo, pelo contrário, nossa categoria está segurando as duras penas as altas repassadas pela Petrobras e pelas usinas produtoras de etanol.
Em toda essa cadeia nós somos os únicos que estamos abrindo mão da nossa margem de lucro bruta que já era pequena para tentarmos salvar volume, que ao meu ver sem sucesso e êxito. Os governos estaduais e federais ganham o deles limpinho, as usinas e a Petrobrás calculam muito bem o seu preço, de igual maneira as distribuidoras não abrem mão de sua margem de maneira alguma, isso claramente é notado nos balanços da mesmas. E aí fico me questionando: E nós? Nós revendedores estamos matando um ao outro na expectativa de um fôlego a mais de vida. Estamos abrindo mão de nossa margem saudável de lucro para mantermos volumes de vendas para as usinas, Petrobrás e para as distribuidoras. Vejo claramente que nos últimos anos a nossa margem do varejo passou para as distribuidoras no atacado e a deles passou para nós do varejo, a situação se inverteu completamente. Possuímos de um modo geral imóveis de esquinas valiosíssimos, altos investimentos na construção dos postos, muito trabalho e muitas obrigações que todos já sabem, tudo isso a troco de uns míseros centavos que não compensam todo o investimento, trabalho e obrigações. Gostaria que esse texto alcançasse o maior número de revendedores possível para que cada um reflita sobre o que estamos fazendo com o nosso negócio. Estamos trabalhando de graça ou até mesmo pagando para mantermos volumes para as usinas, Petrobrás e distribuidoras. Acredito eu que se precificarmos corretamente os combustíveis com uma margem de lucro saudável sem explorarmos nossos consumidores poderá ocorrer duas situações: 1-) Continuaremos a vender do mesmo jeito, talvez com uma pequena queda, mas que será compensada pela margem maior. 2-) Iremos dar uma travada nas vendas, forçando assim que o governo reveja esta carga tributária pesadíssima ou que as usinas, Petrobrás e distribuidoras diminuam um pouco a margem, o que já estamos fazendo há alguns anos, levando muitos postos ao fechamento. Somos desunidos, mas com certeza muito fortes se trabalharmos unidos em um mesmo ideal: O fortalecimento de nossa categoria. Temos que dar um basta no que vem acontecendo com nossa categoria em todos os estados do Brasil, revendedores cansados, desanimados, quebrando e sofrendo pressões de todos os lados, principalmente pelas distribuidoras que não valorizam o seu revendedor. Nunca é tarde para mudarmos uma situação adversa.

Um grande abraço a todos”. 

Palmas,TO. 17/02/19


5 respostas para “Atual cenário da revenda de combustíveis: um desabafo”

  1. Avatar Guilherme Augusto disse:

    Bom dia. Ótimo texto e bela percepção do atual cenário. Esta união que temos vontade de exercer muitas vezes é confundida com cartel. Como no início do texto, somos taxados de ladrões, sonegadores e formadores de cartel. Realmente está muito difícil atuar neste ramo.

    • Avatar Ana Paula Tôrres disse:

      Bom dia, Guilherme.
      Agradecemos seu comentário!
      Continue acompanhando nosso blog.

      Equipe ClubPetro

  2. Avatar Sergio Jimenez disse:

    BOa tarde
    Nunca se resolvera pelo visto.
    Tenho 3 Postos hoje, 2 Bandeiras Petrobras e 1 Bandeia Branca.
    As diferença chegam a 20 centavos na compra.
    Estamos patinando a alguns anos com a Bandeira, sou mau atendido,nao consigo carregar aonde quero,ninguem resolve nada.
    Mando as notas de diferença e a bandeira “nunca pode fazer nada”. Trabalho com margem minima pra acabar com esse inferno que virou a minha vida e da minha familia, pois nao conseguimos mais viver dos Postos. Estou somente virando mes a mes e acumulando um passivo trabalhista,pois todo mes tem que colocar dinheiro.
    Infelizmente esta todo mundo cagando e andando.
    Do nada, duas semanas atras subiram 20 centavos Gasolina e Diesel, e 40 centavos o Etanol . Como que trabalha ?
    Vendo 1.8 milhoes de litros nos meus 3 Postos, da noite pro dia eu tenho que conseguir R$ 540 mil reais pra nao mudar em nada meus Postos, e manter o mesmo giro que eu tenho(fazendo uma media de 30 centavos de alta x 1.8 milhoes de Litros).
    É ridiculo.
    E nao adianta gritar e esperniar, estao todos pouco se cagando.
    Infelzimente é isso.
    Estou vendendo tudo, tudo pago, impostos em dia,0 endividamento.
    Quem quiser e so entrar em contato.
    Obrigado

  3. Avatar Delany kennedy soares disse:

    Excelente texto, com o um percepção altamente clara do nosso momento. Parabéns pela coragem e propositura é isso que está nos faltando união e planejamento com ações que viabilizam os postos com estratégias organizadas e direcionarás para o resultado. Grande abraço vamos refletir o posicionamento de cada um e quem sabe, busca a saída mais inteligente!!! Kennedy – Posto Ipiranga em Montes Claros-MG

  4. Avatar Jean Cesar Pasquini disse:

    A culpa é da Plural. Essa instituição formada pelas 3 maiores distribuidoras que formam um cartel. A culpa é da ANP que pouco está se lixando para nós revendedores honestos e não fazem nada para salvar os milhões de empregos que geramos. Eles fazem os seus interesses e que bem sabemos quais sãos. A culpa é dos Estados que são impunes as fiscalizações, pois fecham os postos e no outro dia eles estão abertos. Porque não manda concreto dentro dos tanques? Queria ver abrir. Não irão gastar milhares de reais para sua substitui los. E a maior culpa é de nós revendedores que só olhamos os nossos rabos e que se f…. o dos outras. Mais agora como 80% estamos no poço, senao nós unirmos a água acabará e nos restará entregarmos nossas casas, apartamento, propriedades rurais e outras as distribuidoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ao se cadastrar você aceita receber os conteúdos do ClubPetro e compreende que pode se descadastrar a qualquer momento.

Posto de combustíveis