Coronavírus na Revenda de Combustíveis

Entenda melhor o “case” do preço do barril de Petróleo

Artigo escrito por Wladimir Eustáquio Costa
Por Wladimir Eustáquio Costa
Criado em 21/04/2020, atualizado em 24/04/2020

O mundo viu perplexo ontem os negócios no mercado futuro de Petróleo, para contratos com recebimentos em maio, despencarem.

Apesar da recente redução feita pela OPEP, reduzindo a produção em 10 milhões de barris/dia, esta ação não foi suficiente para conter os preços, pois o excesso de oferta continua muito alto e fez o preço do barril de Petróleo fechar no negativo pela primeira vez na história desde que começou a ser comercializado na bolsa, em 1983.

E quais são os fatores para este fenômeno?

  • Economia mundial cambaleante.
  • Atividades econômicas praticamente paradas.
  • Demanda pelo combustível congelada, como na aviação e grandes industrias.
  • O barril foi negociado com preço negativo, porque os investidores começaram uma corrida frenética para vender os contratos futuros que tinham em estoque.
  • Nenhum deles quer receber a entrega prometida porque simplesmente não tem onde estocar.
  • Literalmente os preços negativos significam que os produtores estão pagando para que os seus óleos sejam retirados.
  • Se ouviu ontem, entre compradores, que existem produtores dizendo: “Eu pago para você levar o meu petróleo, pois eu não tenho o que fazer com ele e muito menos lugar para guardá-lo.”

A situação das refinarias é também uma tragédia sequencial ao produtor. Estão processando muito menos e algumas paralisando. Enormes navios petroleiros já estão sendo usados como tanques de armazenagem.

O que mais se ouviu no mercado ontem:

“Previsão de Falência e/ou Recuperação Judicial de importantes empresas do setor”

No Brasil, falamos muito sobre a situação que os municípios estão vivendo, com a economia parada e onde nossos negócios (Postos Revendedores), estão inseridos. Mas não podemos esquecer que o “case” do Petróleo, citado acima, afeta profundamente uma importante receita (e às vezes a maior), de diversos municípios, chamada de “Royalty do Petróleo”.

Neste contexto, as recomendações para nosso mundo de revenda, além do estoque just in time é desenvolvermos o:

  • Plano B.
  • E, no mínimo o plano C.

Wladimir Eustáquio é Diretor da Suporte Postos Consultoria e Assessoria Empresarial.
Contato: wladimir@suportepostos.com.br
*O texto é de responsabilidade do autor.

E para ajudar a revenda de combustíveis a reduzir os impactos da crise provocada pelo COVID-19 em seus Postos de Combustíveis, nos dias 22 e 23 de abril, das 17h às 22h, teremos o Maior Evento Online para a Revenda de Combustíveis do Brasil.

Serão 10h de conteúdo com alguns dos principais Especialistas do Mercado. Se você ainda não fez sua inscrição, clique no banner abaixo e faça agora! Não perca essa oportunidade. O evento é totalmente gratuito! Nos vemos lá, #JuntosPelaRevenda!


Ao se cadastrar você aceita receber os conteúdos do ClubPetro e compreende que pode se descadastrar a qualquer momento.

Posto de combustíveis