Tanqueiros: imagem de uma bomba de combustível
Revendedor

Tanqueiros: qual sua função e os prejuízos da paralisação

Artigo escrito por Letícia Bessa
Por Letícia Bessa
Criado em 29/11/2021, atualizado em 14/12/2021

Os tanqueiros são responsáveis pelo transporte de combustíveis e derivados do petróleo. Recentemente, eles fizeram paralisações em alguns pontos do Brasil contra a alta no preço dos combustíveis. Neste artigo, vamos explicar os motivos por trás dessa movimentação e as consequências dela. Continue lendo!

O que são tanqueiros?

Como explicamos, os tanqueiros são responsáveis pelo transporte de gasolina, diesel e etanol por meio terrestre. Além desse modal, é possível utilizar os sistemas hidroviários e ferroviários para transportar essas mercadorias, mas, desta vez, vamos falar apenas sobre o que diz respeito às movimentações realizadas pelos tanqueiros no Brasil.

Entenda as paralisações dos tanqueiros

No dia 21 de outubro, os tanqueiros iniciaram uma greve que afetou a distribuição de combustíveis em três estados: Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Uma das reivindicações por trás da movimentação era a redução nas alíquotas do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em relação ao preço dos combustíveis.

Quais as reivindicações?

O ICMS é um dos impostos que incidem sobre o valor dos combustíveis em todo o Brasil e é responsabilidade dos governos estaduais. Nesse sentido, o Minaspetro, um dos sindicatos que representa a categoria em Minas Gerais, afirmou que  o objetivo dos tanqueiros era fazer uma negociação com o governador Romeu Zema.

Uma das soluções consideradas para abrir as negociações era o congelamento do Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF), que é a base de cálculo para determinar o valor que será cobrado em ICMS. 

Todavia, em Minas Gerais, a greve foi suspensa antes mesmo de os tanqueiros chegarem a um acordo com o governo. Irani Gomes, presidente do Sindtanque, que representa a categoria de tanqueiros no estado de Minas Gerais, afirmou que a suspensão da greve se deu a pedido das distribuidoras de combustíveis. Mas os tanqueiros ainda aguardavam uma posição do governo estadual sobre o valor pago em ICMS.

Qual o posicionamento do governo mineiro?

Em nota, o governo de Minas Gerais se posicionou de forma contrária ao projeto de lei aprovado na Câmara dos Deputados para estabelecer um valor fixo para o ICMS dos combustíveis em todo o país. Segundo o governo mineiro, os reajustes constantes no valor do imposto se devem à política de preços implementada na Petrobras. 

Após esses acontecimentos, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, anunciou o congelamento do ICMS sobre o diesel no estado. O líder do Sindtanque comemorou o anúncio, mas declarou que a medida ainda não corresponde totalmente à reivindicação dos tanqueiros, que buscam a redução de 15% para 12% no valor do ICMS sobre o diesel. Com a nova medida a redução foi de 15% para 14%.

Rio de Janeiro e São Paulo

Durante as paralisações que se iniciaram no dia 21, Ailton Gomes, presidente da Associação das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados do Petróleo do Estado do Rio de Janeiro, também se pronunciou e falou que a principal reivindicação do movimento é a redução nos preços dos combustíveis.

Já em São Paulo, a greve também ocorreu para que fosse possível realizar uma negociação com o governo em relação às demandas dos tanqueiros.

Quais os efeitos das paralisações dos tanqueiros?

Quando os tanqueiros fizeram as paralisações no dia 21 de outubro, o Sindtanque afirmou que 100% dos transportadores de combustíveis e derivados de petróleo estavam parados em Minas Gerais. Eles bloquearam a passagem em distribuidoras de combustíveis de todo o estado. 

Por esse motivo, na manhã seguinte, com os tanqueiros ainda paralisados, os postos de Minas Gerais começaram a registrar a falta de gasolina e diesel. Com isso, é normal que haja corrida aos postos de combustíveis e desabastecimento nas regiões afetadas pelas greves. 

Esse é o principal efeito das paralisações realizadas pela categoria, que deixa de fazer o transporte da mercadoria até as distribuidoras e os postos.
Agora que já explicamos as causas e consequências das paralisações realizadas pelos tanqueiros, fale com um dos nossos especialistas e descubra como melhorar a performance de vendas do seu Posto com as nossas soluções de fidelização e gestão de metas!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ao se cadastrar você aceita receber os conteúdos do ClubPetro e compreende que pode se descadastrar a qualquer momento.

Posto de combustíveis