Revendedor

Escala de frentista: como montar de forma eficiente em 8 dicas

Artigo escrito por Ricardo Pires
Por Ricardo Pires
Criado em 16/12/2021, atualizado em 30/12/2021

Estamos vivendo um momento controverso na revenda de combustíveis no Brasil – um problema enorme para alguns; uma baita oportunidade para outros. Quem administra bem suas despesas e pensa sempre na última linha do  Demonstrativo do Resultado (DRE), está com a faca e o queijo na mão. Sabendo que a principal despesa em um posto de combustíveis é o custo dos funcionários, vou explicar como fazer uma escala de frentistas com 8 dicas.

Entenda que não existe um modelo pronto

Antes de mais nada, você precisa saber que não existe um modelo pronto de como fazer a escala de frentistas no seu Posto. Cada negócio tem suas particularidades, então não adianta replicar uma escala onde o colaborador folga na sexta-feira em uma semana e, depois, na quinta-feira

Essa escala não serve para um estabelecimento como o seu! Afinal, os postos de combustíveis têm picos de venda em dias e horários específicos, sem falar nas datas sazonais, como vésperas de feriados e férias, quando o movimento é maior do que o habitual.

Tudo isso deve ser levado em consideração na hora de montar a escala de frentistas do seu negócio. Portanto, não busque uma “fórmula de bolo” na internet para replicar 100% no seu Posto. Quer saber como fazer uma boa escala de frentistas? Continue lendo e veja nossas 8 dicas!

Como fazer uma boa escala de frentistas?

Antes de explicarmos as nossas 8 dicas, você deve ter em mente que a escala de frentistas deve seguir as normas previstas na CLT para evitar reclamações dos colaboradores e problemas judiciais.

Com um bom planejamento, o seu negócio terá capacidade de manter-se na ativa, mesmo em períodos de grande movimentação. Veja como:

1. Levante os dias e horários de maior movimentação

Antes de montar sua escala de frentistas, é importante conhecer o seu Posto e saber quando vai precisar dos colaboradores presentes. Por exemplo, se o movimento de domingo for suficiente para compensar os gastos que você terá com frentistas, vale a pena deixar seu estabelecimento aberto. Se o movimento não for tão grande para compensar os gastos, talvez seja melhor fechar o Posto e dar folga para os seus funcionários.

2. Determine como será a jornada de trabalho

Feito o levantamento para descobrir quando precisa dos frentistas no Posto, é hora de planejar a escala de trabalho. Para tanto, é preciso definir se os frentistas vão seguir o modelo convencional, de 7h20, com 1h de intervalo, ou se vão trabalhar em escala de 12/36.

A vantagem de aderir ao modelo de 12/36 é que os frentistas vão trabalhar durante um período mais extenso, mas você vai precisar de uma equipe maior para cobrir as folgas dos funcionários, que serão dia sim, dia não. 

No caso do modelo convencional, quando os frentistas trabalham durante 7h20, a equipe pode ser reduzida. Contudo, todos os frentistas devem ter uma folga a cada seis dias trabalhados. Lembre-se de respeitar o limite de horas semanais, que é igual a 44 horas.

3. Lembre-se das folgas dominicais

Os sindicatos patronais e de frentistas normalmente tem um acordo trabalhista onde consta o número de folgas dominicais dentro do mês corrente. Em alguns casos, o posto mantém um quadro de funcionários em excesso somente para atender às folgas dominicais e não deixar um único frentista no turno em algum domingo. 

Como explicamos, é importante fazer as contas para conferir se o lucro no domingo justifica a abertura do estabelecimento. Se o seu Posto não abre aos domingos, é só dar folga para todos os funcionários neste dia. Além de facilitar a escala, o fechamento aos domingos reduz drasticamente o seu custo.

De acordo com os sindicatos patronais e de frentistas, todos devem ter pelo menos uma folga dominical. Nesse sentido, uma boa estratégia é implementar o esquema de “trabalha 3, folga 1”. 

4. Invista nos contratos intermitentes

Com a reforma trabalhista, tornou-se possível estabelecer contratos intermitentes. Nesses casos, os frentistas são contratados por demanda e recebem por hora trabalhada, já sabendo em quais dias vão atuar

Esse modelo de trabalho é muito utilizado em dias e horários de grande movimento, como sexta-feira à tarde e sábado pela manhã, além dos domingos, pela obrigação de folgas dominicais, nos casos de postos que funcionam neste dia.

5. Decida se vai abrir no período da madrugada

Como explicamos, é preciso fazer uma avaliação sobre lucro x custos para descobrir se vale a pena abrir em determinado período. Se o seu estabelecimento for muito movimentado durante a madrugada, vale a pena ter uma escala de frentistas neste horário.

Por outro lado, se as madrugadas não forem tão lucrativas, é mais interessante fechar o seu Posto. Além de perigoso, o turno na madrugada atrapalha a escala de frentistas. No dia de folga do frentista noturno você tem que colocar um frentista diurno e conciliar a folga dele no dia seguinte após o trabalho de madrugada. 

Para minimizar despesas, muitos estabelecimentos optam por fechar no período noturno e colocam grades ou cercas. Desse modo diminuem a despesa de um funcionário e problemas de escala.

6. Análise estatística: vendas x frentistas

Uma dica valiosa é calcular a quantidade de vendas por hora x a quantidade de frentista por hora, e medir a produtividade dele. Um frentista de posto urbano bem produtivo consegue atender até 14 carros por hora, mais do que isso começa a cair a qualidade e aumentar o tempo de espera.

Se o estabelecimento tiver o identificador de frentistas para liberar a bomba, pode utilizar estes dados para otimizar a escala. Temos essa análise de dados pronta na ferramenta de Business Intelligence do ClubPetro, onde calculamos a demanda por hora e buscamos a quantidade de frentistas diferentes que liberaram a bomba num intervalo de hora

Com base nesses dados, conseguimos traçar a média de atendimentos por dia da semana e horários mais movimentados e, assim, organizamos a escala de trabalho e o melhor horário para intervalos dos frentistas.

7. Periodicidade da escala

A escala de frentistas deve ser planejada com antecedência. Dessa forma, é possível combinar as férias dos seus colaboradores junto ao RH, sem falar que os frentistas ficam mais satisfeitos quando conseguem planejar melhor suas folgas e obrigações extra trabalho.

8. Combine as férias dos seus colaboradores junto ao RH

Outro ponto que deve ser levado em consideração na hora de montar a sua escala de frentistas é a programação de férias. Programe as férias dos frentistas junto ao RH e evite surpresas, opte por folgar o máximo de frentistas no período de baixas vendas, que normalmente é no início do ano.

Agora que você já sabe como fazer uma boa escala de frentistas, vale a pena dar uma conferida no aplicativo de gestão de metas do ClubPetro para entender como os seus frentistas podem vender mais. Fale com um dos nossos especialistas sobre o assunto!


10 respostas para “Escala de frentista: como montar de forma eficiente em 8 dicas”

  1. Renato disse:

    No mês ou meses de 5 semanas como fica a folga de Domingo que é mensal? Tem que trabalhar 3 e folgar um Domingo ou 4 e folgar um Domingo??

  2. Luiz carlos disse:

    Olá boa noite eu sou gerente trabalho no posto com 5 frentista e um folguista como seria ideal pra eles as folgas 05 por 01

  3. Jorge disse:

    Eu trabalho em escala 6×1 (14h às 22:20), porém cubro folgas noturnas (22h às 6h).
    Ex: Cobertura de folga dia 01 entro às 22h e saio às 6h do dia 02, porém minha folga é considerada no dia 02 e no dia 03 volto ao trabalho às 14h novamente.
    Essa jornada está correta ?

  4. Augusto camara disse:

    Ana Paula,
    Onde eu consigo está planilha que vc mencionou ??

  5. Patricia Gomes de Morais disse:

    Boa tarde gostaria da planilha sobre a escala de trabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ao se cadastrar você aceita receber os conteúdos do ClubPetro e compreende que pode se descadastrar a qualquer momento.

Posto de combustíveis