Revendedor

Não AME, mas respeite o revendedor

Artigo escrito por Ricardo Pires
Por Ricardo Pires
Criado em 26/02/2021, atualizado em 26/02/2021

Ano passado, eu disse “O cashback da AME não fecha a conta, cuidado porque você está entregando os dados de seus clientes!” Enfim a profecia se concretizou, e agora a revenda chora. 

Em maio de 2020, em pleno início de pandemia, a Petrobras apresentou ao mercado uma agressiva campanha de benefícios em parceria com a AME Digital, da empresa B2W (controladora das Lojas Americanas, Shoptime, Submarino, entre outras). A campanha consistia em oferecer cashback aos motoristas, ou seja, quando o consumidor faz uma compra, parte do investimento retorna para o seu bolso. A agressividade da promoção foi tamanha que iniciou com 20% de cashback e no mês seguinte alterou para 10%, percentual maior que a margem do revendedor de combustíveis. O interessante é que quem pagou a conta foi a AME, o revendedor estava rindo a toa, via suas vendas aumentarem, o cliente satisfeito, a concorrência sem reação e tudo era festa… é muito bom curtir o momento, mas é preciso analisar melhor a situação.

O PIM, Plano Integrado de Marketing da Petrobras, estava em desuso pela revenda, afinal um Posto de 201.000 litros tem que pagar R$13.350,00 anuais para bancar o Plano de Marketing de sua distribuidora, que já te machuca com preços às vezes muito superiores ao mercado bandeira branca. Para participar do Cashback da AME é necessário pagar o PIM, ou seja, para gerar esse benefício aos clientes o revendedor aceitava pagar essa quantia, mesmo sem poder. Os assessores pressionam, dizem que condições melhores comerciais estão condicionadas à assinatura do PIM e o revendedor, pressionado, aceita.

Mas qual o interesse da AME Digital? Você, revendedor, muitas vezes não valoriza os dados de seus clientes, mas eles valem ouro. A AME quer inverter o seu papel na cadeia de combustíveis, ela quer que você seja um intermediário, um coadjuvante, não mais o ator principal. A partir do momento que você cadastrou os seus clientes no app AME você entregou os dados deles e o perfil de consumo, eles sabem quem são os melhores, quanto eles gastam e se pararam de comprar. Ou seja, a AME vai monitorar e monetizar com os seus ex-clientes. 

A regra do jogo virou ontem, dia 25/02, quando a AME anunciou que você, revendedor Petrobras, precisa retirar todos os materiais publicitários da campanha até 28/02, bem antes do prometido que seria em maio de 2021. O cashback de 10%, que era uma super promoção, principalmente para os consumidores que compravam muito no seu posto, terá um limite agora de apenas R$20,00 mensais. Engraçado é que ela continuou pagando R$10,00 por cada cadastro realizado pelos frentistas, muito bom isso né? Você revendedor deve arcar com salários, encargos, periculosidade e atestados de COVID19 enquanto ela paga por fora e tira o foco das vendas de produtos que geram rentabilidade ao posto.

A partir de agora, os motoristas colocarão o revendedor na parede e vão exigir os 10% de cashback independente do valor, e ele terá que dar explicações. Mas o pior não é nem isso, se você entregou uma quantidade de dados de clientes muito grande, pode ter colocado o seu negócio em risco. Na apresentação da AME ela diz que o melhor conhecimento do consumidor faz com que ela possa criar campanhas customizadas por perfil. O que isso quer dizer?

Quer dizer que, se você sair do PIM e outro posto da cidade BR tiver AME, a Petrobras pode potencializar a compra dele nesse posto, afinal o cliente é dela e ela não pode perder receita. A AME Digital nada tem haver com venda de combustível, ela quer rentabilizar o ativo dela que são seus clientes. Um exemplo:

Se o Revendedor João não está usando a AME Digital pois seu posto não renovou o Plano de Marketing da Petrobras, a AME pode ofertar entre 10% e 20% de cashback para o cliente voltar ao jogo, mesmo que seja no posto concorrente de João, que utiliza a bandeira Petrobras. 

Conseguiu entender que esse jogo está perdido? Mude de posição agora, valorize sua base de clientes e tenha o seu próprio banco de dados.

Na próxima quarta-feira, no Aulão do ClubPetro, debateremos sobre o tema e as mudanças realizadas pela AME com o Roberto James (Errejota), especialista em comportamento do consumidor. Aguardo você lá, às 20h do dia 03/03/21. Caso ainda não tenha se inscrito nos Aulões, clique aqui.

Aos leitores

Os artigos publicados nesta página não refletem necessariamente uma opinião do ClubPetro, já que procuramos trazer opiniões de diferentes revendedores e profissionais do Mercado de Combustíveis, que podem divergir ou convergir em diversas questões.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ao se cadastrar você aceita receber os conteúdos do ClubPetro e compreende que pode se descadastrar a qualquer momento.

Posto de combustíveis