Na tentativa de costurar nossos assuntos, hoje trouxe uma discussão acerca de qual profissional recorrer para implantar o e-Social em seu posto.

Já discutimos sobre a importância de estabelecer metas e fazer uso de ferramentas adicionais para que possamos ter um envolvimento claro e organizado na adaptação ao novo hábito trazido pela plataforma.

Além do profissional ter a responsabilidade de ser um gestor de equipes e metas, o mesmo deve saber fazer uma boa análise de riscos, ser um profissional amplo nos conhecimentos em engenharias múltiplas e um expertise em saúde e segurança.

Um ramo da engenharia que até então somente existia em formato de especialização, hoje traz mais solidez com a aprovação nacional no último dia 28, em graduação em Engenharia de Saúde e Segurança. A nova engenharia foi colocada ontem na carta de profissões e deliberada pelo CREA/CONFEA.

Esta engenharia inovadora, que hoje só existe na Universidade Federal de Itajubá, em seu campus avançado Itabira, provavelmente se alastrará pelas universidades do Brasil, afim de formar profissionais com as características citadas acima.

Este engenheiro é quem possui, hoje no nosso país, as atribuições e expertises necessárias para o bom desenvolvimento e desempenho da área, bem como organização do sistema atual para o novo modelo que o e-Social vem implantar.

A boa nova é que agora teremos a capacidade de confiar em um profissional reconhecido, com conhecimentos antes inexistentes no nosso país. Este é o profissional que provavelmente irá desenvolver nossos negócios para a inovação e renovação de sistemas.