revendedor

Contrato de franquia de Loja de Conveniência, vale a pena?

Artigo escrito por Maria Luiza Dias
Por Maria Luiza Dias
Criado em 11/04/2019, atualizado em 01/03/2020

As lojas de conveniência no Brasil apresentam grande potencial de mercado e têm se tornado uma alternativa para rentabilizar o negócio dos Postos de Combustíveis.

Segundo dados da Fecombustíveis, este mercado cresce em torno de 15% ao ano. Ao todo, são mais de 5.000 lojas no país, porém, apenas 18% dos postos de combustíveis brasileiros têm lojas de conveniência, com destaque para as regiões Sul e Sudeste, que lideram o ranking.

As distribuidoras, acompanhando essas projeções, têm desenvolvido suas metas de crescimento em números absolutos de lojas que pretendem inaugurar ao longo do seu ano safra e estão, de fato, realizando investimentos nessa área. Mas o revendedor precisa estar atento e levar em consideração alguns fatores essenciais antes de optar por uma loja franqueada.

No texto de hoje, compartilho tudo que você precisa saber de mais importante a respeito do contrato de franquia de loja de conveniência e porque você deve analisar bem antes de optar por assinar um. Me acompanhe ao longo do texto!

Expectativa…

Acredita-se que uma das vantagens do modelo de franquia é o know-how do franqueador, pois seria ele o responsável por estabelecer o mix de produtos, equipamentos a serem utilizados, margem adequada, poder de barganha com os fornecedores, especialmente com as grandes indústrias etc. Também é o franqueador quem deve ser o responsável pelo sistema de gerenciamento, sem falhas e com custo de operação competitivo. Ou seja, um conjunto de atributos essenciais para a o sucesso da loja.

Realidade!

Acontece que, efetivamente, é entregue ao revendedor apenas um modelo de negócio sem qualquer suporte, sem as necessárias informações estratégicas e de gestão. Não há mentoria feita por um profissional com experiência e nem mesmo um auxilio operacional.

Além disso, sabemos que o cliente da conveniência é exigente, busca praticidade, rapidez, produtos e serviços de qualidade, bom atendimento, variedade de produtos, um ambiente agradável e banheiro limpo, o que, por sua vez, torna necessária a busca em excelência ainda mais criteriosa por parte do revendedor. Porém, as distribuidoras só estão preocupadas em alcançar números de unidades e faturamento bruto, sem, efetivamente, buscar a rentabilidade para o revendedor e a qualidade exigida pelo cliente desse setor.

Termos e regras dos contratos

O contrato de franquia de loja de conveniência ainda prevê um custo altíssimo a ser suportado ao longo de anos. Os royalties e a taxa de publicidade são calculados sobre o faturamento bruto das lojas e cada franquia tem suas regras específicas, com regras de isenções sobre tabacaria inalcançáveis. Estou falando em 7% de taxas mensais sobre o faturamento total da loja, que englobam, inclusive, produtos que nem sequer apresentam essa porcentagem de margem.

Além disso, existem ainda regras engessadas, como a obrigatoriedade de compra com fornecedores exclusivos, independente se estes entregam a melhor proposta de valor; há a proibição de negociação com fornecedores locais, o que muitas vezes repercute em problemas logísticos e limitam a oferta; vetam a permissão de cadastro de produtos locais, o que descaracteriza o regionalismo e gera perda de venda de alguns produtos particulares. Dentre outros.

Mas e então, ter ou não ter uma loja de conveniência?

Aderir ou não ao modelo de franquia de loja de conveniência das distribuidoras deve ser uma decisão a ser tomada de maneira criteriosa. Para o revendedor, o contrato de franquia de loja de conveniência só faz sentido se atrelado à outros contratos de fornecimento, que sejam vantajosos para o posto como um todo e, assim, garantam todos aqueles pontos citados acima e que geram valor aos clientes e não só margem de lucro para as detentoras da franquia.

Ter uma loja de conveniências é uma excelente opção para quem busca outras formas de atrair clientes e também outras possibilidades de retorno financeiro. No nosso blog, temos um texto que fala, além dessas vantagens, outras que talvez você nem tenha imaginado. Para acessá-lo, basta clicar aqui. Se ainda ficar com dúvida, temos outro texto que ilustra o porquê de valer a pena investir nessa estratégia. Clique no link e faça a leitura.

Você viu, ao longo do texto, que é preciso muito estudo e negociação antes de tomar a decisão de colocar uma loja de conveniência em seus postos que esteja ligada à bandeira da sua distribuidora. Se você sentir que ficará nas mãos dela, sem qualquer possibilidade de retorno, pense em outras alternativas, como criar a sua própria conveniência e garantir 100% dos resultados.

Além disso, existem outras estratégias e ferramentas às quais você pode adotar em seu Posto de Combustíveis para garantir retorno financeiro, fidelização de clientes, gestão de vendas, atendimento qualificado, dentre outros. Somos especializados em ajudar o revendedor a conquistar seus objetivos. O ClubPetro já ajudou mais de 700 Postos de Combustíveis em todo o Brasil e o seu pode ser o próximo. Se você quer entender um pouco mais de como trabalhamos e quais são os diferenciais que levamos para o seu posto, preencha o banner abaixo com seus dados e agende uma apresentação gratuita com um de nossos especialistas. Estamos te esperando!

Tenha a revenda nas suas mãos com nossas ferramentas. Agende uma conversa com nosso especialista!


Ao se cadastrar você aceita receber os conteúdos do ClubPetro e compreende que pode se descadastrar a qualquer momento.

Posto de combustíveis