Quantas vezes demitimos algum funcionário e fica aquela sensação ruim, ele precisava do emprego mas não estava gerando valor à empresa e é comum pensarmos “precisa mas não quer melhorar, não sou eu quem irá preocupar já que ele não correr atrás”. Hoje trago um importante tema, mas que ainda é pouco falado e praticado: a importância do feedback ao frentista.

Feedback é o exercício de dar retorno aos funcionários. Se você desejar motivar e engajar seus frentistas, esta é uma ferramenta certeira.

Enfim, é comum aos revendedores e gerentes terem grande dificuldades para encontrar no mercado quem realmente faça a diferença. Mas você já pensou que uma parte da culpa pode ser sua? Será que você está dando um feedback para que o frentista ou gerente melhore o desempenho? Ninguém nasce sabendo, ainda mais em uma atividade que é correria o tempo todo e um novato já chega atendendo entre 70 e 80 clientes diariamente. Normalmente o treinamento inicial de um frentista é desestruturado e ele tem que literalmente se virar. A chance de ocorrer erros é enorme, principalmente se o apoio for inexistente.

Princípios para um feedback eficaz

1- A qualidade de qualquer relação depende da qualidade e quantidade de feedback que recebemos.
2- A cordialidade é um tipo fundamental de feedback.
3- O contato visual é um tipo de feedback.
4- Algumas pessoas demandam mais feedbacks que outras.
5- Negar feedback a alguém é um tipo de castigo psicológico.
6 – Feedback não é sinônimo de crítica.

Como dar um bom feedback

1- Seja gentil e sincero.
2- Oriente o (a) frentista quanto aos pontos positivos e os que devem ser melhorados.
3- Procure um local e horário adequados para evitar interrupções.
4- Entenda quais são as dificuldades operacionais.
5- Deixe claro que feedback não deve ser entendido como crítica negativa.
6 – Deixe marcado o próximo feedback, assim você mostra que durante aquele espaço de tempo, o funcionário será avaliado em relação ao retorno dado.

Quando você contrata um novo funcionário, é feito um contrato de experiência. E logo após o segundo contrato totalizando em 90 dias, correto? Quando termina o primeiro contrato de experiência você senta com o frentista e passa um feedback a ele? Diz claramente quais as mudanças necessárias e apresenta o que espera?

Devemos ser duros com o pecado e suaves com o pecador. Um desligamento do frentista após 90 dias é mais tranquilo se ao final do primeiro contrato você tenha passado um feedback de melhorias ao colaborador.

Seja objetivo, fale apenas o que for verdadeiro e compatível com as necessidades e possibilidades da pessoa.