pagamento via whatsapp
Revendedor

Pagamento via WhatsApp: mais uma solução para seu Posto?

Artigo escrito por Ricardo Pires
Por Ricardo Pires
Criado em 16/06/2020, atualizado em 16/06/2020

O WhatsApp anunciou ontem, 15 de junho, o novo recurso de pagamento e transferência pelo aplicativo e o Brasil é o primeiro país a recebê-lo. Com isso, surge a dúvida, principalmente pelos revendedores, será o pagamento via WhatsApp uma solução ou mais um sócio que aparece para comer um pedaço do meu bolo?

Como isso vai funcionar na prática? Como validar a transação? Nas próximas semanas teremos respostas para estas e outras perguntas, mas isso pode sim revolucionar ainda mais os meios de pagamento. Na semana passada falei sobre as mudanças com o início do PIX.

A nova função do WhatsApp estará gradualmente disponível para sistemas Android e iOS, já nas próximas semanas. Os pagamentos serão ativados pelo Facebook Pay. As transações serão protegidas com sistema antifraude e a empresa promete, em sua página, que os dados bancários não serão compartilhados e ficarão armazenados separadamente dos dados do aplicativo de mensagens. Para aumentar a segurança, a validação de dados será feita através de um PIN do Facebook Pay ou a biometria, em dispositivos que possuem este recurso.

As transferências entre pessoas físicas são isentas de taxas e poderão ser feitas apenas com cartões de débito. Os usuários podem enviar até R$ 1 mil por transação e receber 20 transações por dia, mas com um limite global de R$ 5 mil por mês. Já o pagamento às empresas não tem limite de valor e pode ser feito com cartões de débito e crédito. A princípio, apenas clientes dos bancos Brasil, Nubank e da Sicredi serão contemplados com a nova modalidade de transações.

As pequenas e médias empresas, usuárias do aplicativo WhatsApp Business, poderão vincular uma conta Cielo existente ou criar uma nova e habilitar o Facebook Pay, e assim efetuar e receber pagamentos ilimitados no crédito ou débito, oferecer reembolsos e obter suporte 24 horas por dia.

Pessoas jurídicas pagam uma taxa fixa de 3,99% por transação. As taxas da Cielo variam entre 2,39% (débito) a 4,99% (crédito), segundo informações do site da adquirente.

Enfim, se estas taxas se confirmarem, acho que não irá sobrar nenhum pedaço de bolo no prato do revendedor.

Se você tem interesse em saber mais sobre o PIX, não perca a palestra do Alexandre Pinto, Diretor de Inovação e Desenvolvimento de Negócios da Matera, que vai mostrar as vantagens desse novo sistema de pagamento e porque ele promete ser uma solução financeira para o seu Posto. A palestra ao vivo, dia 24 de junho, faz parte da programação da segunda edição do evento #JUNTOSPELAREVENDA.


Ao se cadastrar você aceita receber os conteúdos do ClubPetro e compreende que pode se descadastrar a qualquer momento.

Posto de combustíveis